Português (pt-PT)
botao_donativos facebook_32
Ínicio Artigos


IRS 2013


exposicao

palavrasatos

historias_com_direitos

25 Maio Dia Internacional das cCrianças Desaparecidas

Artigos

logo_art8
Comentários à Carta da Criança Hospitalizada - Artigo 8º Formação da Equipa

O artigo 8º da Carta da Criança Hospitalizada reconhece que “A equipa de saúde deve ter formação adequada para responder às necessidades psicológicas e emocionais das crianças e da família”.

Consulte os dois comentários a este artigo (PDF - 505 Kb), da autoria de Emílio Salgueiro, pedopsiquiatra, e de Maria Graça Andrada, pediatra.

In Santos, L., Jorge, A., et al. (Ed. Lit, 2000) "Comentários à Carta da Criança Hospitalizada". Lisboa:IAC.

 

 

 artigo_2_cch 

Comentários à Carta da Criança Hospitalizada - Artigo 2º Presença dos Pais

O artigo 2º da Carta da Criança Hospitalizada reconhece que “Uma criança hospitalizada tem direito a ter os pais, ou seus substitutos, junto dela, dia e noite, qualquer que seja a sua idade ou seu estado”.

Consulte os dois comentários a este artigo (PDF - 590 Kb), da autoria de Armando Leando, Juíz e atual Presidente da Comissão Nacional de Crianças e Jovens em Risco, e de Maria José Gonçalves, pedopsiquiatra.

 

 

In Santos, L., Jorge, A., et al. (Ed. Lit, 2000) "Comentários à Carta da Criança Hospitalizada". Lisboa:IAC.

 

 

 

artigo_pbrincar_hsac1

"Porquê Brincar no Hospital?" (Santos, L., 2011)

Brincar é essencial para a Criança. Deve ser reconhecido como uma necessidade específica do desenvolvimento, ao mesmo nível que comer e dormir. Sendo o brincar construtor da personalidade, permite à criança descobrir o mundo que a rodeia, descobrir as causas e as consequências, encontrar o seu lugar no mundo e aí desempenhar um papel que se modifica ao longo do seu desenvolvimento. A atividade lúdica em pediatria tem características próprias, diretamente ligadas à situação de hospitalização.

Consulte o artigo completo (PDF - 810 Kb)